Panning Slideshow | Build Internet Tutorial
  • Tiger
  • Macaw
  • Bald Eagle
  • Panda
 
Untitled Document
História

 

A Freguesia de Campos é uma freguesia do concelho de Vieira do Minho e dista da respectiva sede cerca de 35 km. É composta pelas aldeias de Campos, Lamalonga e Cambêdo. O seu orago é S. Vicente, cuja festa se celebra no primeiro Domingo de Agosto. No lugar de Lamalonga é St. António e celebra-se segundo Domingo de Agosto.
A Freguesia é banhada por um curso de água, a que chamam de Rio Lage, e sobre ele existe uma ponte de um arco, estilo românica, muito antiga, que outrora serviu mais assiduamente as populações. Existem também, imensos moinhos de água fixados nas suas margens.


Campos é indiscutivelmente, uma freguesia essencialmente rural. A vida da sua população girou, desde sempre, em torno da cultura da terra e dos imensos milheirais que a povoam. As espigas são levadas para o “canastro”, um espigueiro típico da freguesia, por ser diferente dos comuns; este está assente em pilares de rijo granito e é mais comprido e arejado, para que se sequem bem as espigas. O canastro é dividido em quartéis separados entre eles, por duas colunas de pedra e por uma coluna de tábuas pequenas que separam quartel por quartel e a sua cobertura é composta por telhas. Campos é toda ela bastante pitoresca, a julgar pelos seus trajes, muito típicos, compostos pelas características “capuchas”.


Outrora funcionaram na freguesia, dois fornos do povo, ou seja, eram fornos comuns, nos quais a população cozia o pão, levando consigo lenha para o abastecer. Por vezes, só eram necessários alguns molhos de urzes e giestas para o manter aceso, pois o seu funcionamento era quase permanente. Estes fornos foram recuperados e são para demonstração turística ou para os residentes que neles queiram avivar a tradição. Como eram muito utilizados e se localizavam no centro da freguesia, a porta da Casa do Povo (assim se chamava o local onde existiam estes fornos) estava sempre aberta, servido, ao mesmo tempo, de abrigo a pobres transeuntes que ali passavam as noites de Inverno. Os fornos são cobertos de pedra lavrada a pico: o forno principal, que se situa perto da Igreja Matriz, é composto por dois arcos, bem defumados, que servem para assentar o telhado feito de grandes padieiras de pedra; o outo forno situa-se no lugar de Lamalonga e tem um arco.


No perímetro da área desta freguesia existem cinco minas de volfrâmio: Alto do Ribeiro de Beleirinho, Cruz de Manuel Couto, Monte da Casula, Ribeira das Achas e Seprão.


No início da Nacionalidade, Campos estava incluída no Julgado de Borba de Barroso, que mais tarde se tornou no concelho de Ruivães, que actualmente é uma freguesia vizinha e cujo o concelho foi extinto no dia 31 de Dezembro de 1853. Foi vigararia da apresentação do reitor de Viade até à extinção dos coutos, passando depois para a Coroa e, por doação, à Casa de Bragança.

 

Número de visitas: